Exagero de Marketing, sua empresa pode cair nesse erroSerá que sua empresa está fazendo marketing de forma excessiva e desagradando os consumidores? Ou deveria fazer um pouco mais para obter maiores resultados? Para falar sobre o tema, jornal Diário do Nordeste Plus (versão especial para tablets) preparou uma entrevista com o professor e consultor W. Gabriel. Veja a seguir algumas dicas de como evitar essa miopia de marketing e cativar clientes durante o ano inteiro sem exagerar.

W. Gabriel dá entrevista à Nordeste TV sobre Redes Sociais e EleiçõesUma das principais dúvidas na campanha eleitoral 2014 é sobre a eficácia das redes sociais neste processo. Em busca de campanhas políticas criativas, os candidatos se valem de diversas manobras de comunicação e marketing para vencer a concorrência. Mas será que as redes sociais fazem alguma diferença nesse contexto? Veja a seguir algumas dicas e reflexões que podem lhe dar uma outra visão e até servir de diferencial para construir campanhas políticas de sucesso.

porta_dos_fundos_logout_senha_seguranca"Será que esqueci meu Facebook aberto?" Quantas vezes você já não se fez essa pergunta? Ao invés de enlouquecer imediatamente com a possibilidade de roubo de senhas, namorada bisbilhotar, confusão na sua vida ou outros problemas, veja na rápida apresentação a seguir 5 dias simples de como se comportar para evitar tais situações constrangedoras ou contorná-las quando necessário. Assista também à entrevista dada para a TV União, no programa Matina, sobre o mesmo tema.

a_era_do_selfie_conceitos_wgabrielVocê já se perguntou por que as câmeras dos celulares viraram de lado? Hoje em dia, celular bom e que se preze precisa ter a câmera também apontando para a gente. Como diz Cris Dias, no Brainstorm9, é “Eu, eu, eu e meus parça junto”. Não vou discursar aqui sobre responsabilidade da autoimagem ou riscos da autoexibição. Venho falar sobre um atual contexto do comportamento da sociedade acerca do qual as empresas muitas vezes estão alheias. Uma espécie de “Era do Selfie” se apresenta cada vez mais entre nós, com seus riscos e vantagens, comportamentos e desconstruções, recuperações de antigos conceitos e adaptação de outros. E onde entra o marketing nessa história? É o que também quero descobrir. Vejamos.

coracao_partidoMuito antes de o marketing científico surgir, a partir da proposta de complexo de marketing de Neil Borden, em 1949, o comportamento de divulgação e relacionamento com clientes já existia, mesmo sem nomenclaturas oficiais. A intuição e a prática exaustiva do comércio já serviam de subsídios para saber o que vende mais e o que não vende. Se o pensamento fosse um pouco mais sofisticado, havia também a preocupação em estar presente positivamente na memória do cliente para que ele sempre pudesse se lembrar de você - e comprar de você, não do concorrente. Será que as empresas atualmente precisam voltar anos atrás e ver novamente os princípios básicos da comercialização para atender bem aos clientes? Não é questão de luxo, são princípios basilares de que falo.

Manhã com Tropa - Quartel Digital - W. Gabriel, Hugo Lopes e Marcelo Borges - TendênciasClaro que o mercado digital continua crescendo. Mas atualmente não só isso. O mercado digital, para além crescer, vem amadurecendo. E, como todo amadurecimento, uma série de novas exigências são percebidas e outras já existentes, reforçadas. O peso que se dava antes aos resultados das ações digitais muda à proporção que as empresas e seus profissionais resolvem investir mais. Além disso, as ações sem fundamento ou visão competitiva passam aos poucos a não gerar crédito e a não convencer quem resolveria investir. Por fim, a imagem do profissional nos meios online começa a pesar nas decisões objetivas sobre em quem investir. São tendências para os próximos períodos que merecem ser consideradas. Veja a seguir a apresentação que fiz para o evento Manhã com Tropa, organizado pela empresa Quartel Digital. Vale ressaltar que esta edição do evento foi a maior de todos os anos e contou com apresentações de Hugo Lopes (professor e sócio da agência Index Digital), W. Gabriel (professor, mestre em Marketing, orientador CNPq e especialista na área digital) e Marcelo Borges (empresário dono do Barney's Burger).

Internetês? Nova linguagem social? Problema ou apenas o diferente surgindo? Cyber Movie como material da cibercultura ou uma ousadia demasiada? A diversificação pela qual passam as estruturas tradicionalistas de comunicação não são mais uma novidade, mas uma realidade que já adentrou empresas, relações interpessoais, artes, dentre outros meios. Assim como aprender mais de uma língua hoje em dia pode ser um fator competitivo no mercado de trabalho, um grau a mais de sedução interpessoal e até uma ferramenta que expande a expressão multicultural, dominar o fazer e os significados das expressões cibernéticas podem nos deixar um passo à frente na atualidade. Ouça a seguir, na íntegra, a discussão sobre esses e outros temas no programa Debates d'O Povo, na Rádio CBN, com apresentação de Ruy Lima e debatedores Marcília Dias (professora doutora da UFC), W. Gabriel de Oliveira (professor mestre da Unifor) e Emerson Maranhão (jornalista do OPovo).

Zona Cyber 2013 foi um evento promovido em 22 e 23 de novembro de 2013 pela empresa de comunicação Diário do Nordeste. Trouxe a intenção de fomentar discussões que envolvam mídias online e suas dinâmicas na cidade de Fortaleza-CE. O evento recebeu profissionais de marketing, agências de comunicação, empresas e público em geral. A seguir, veja na íntegra o painel ‘Fortaleza 2.0 e Cenário Atual: tendências e perspectivas’ e seu relevante debate crítico sobre a realidade da região no que tange dinâmicas nos meios online.

Vídeo e fotos na internet são um dos tipos de conteúdo que mais empolgam usuários na internet. Não é à toa que os aplicativos mais populares atualmente investem no compartilhamento desses conteúdos entre as pessoas. Se juntarmos tais conteúdos com a tecnologia de mensagens instantâneas e redes sociais, chegamos a um fenômeno contemporâneo nas mãos dos próprios usuários que envolve tanto criação de conteúdo e compartilhamento em massa rapidamente, como também exposição excessiva, síndrome de celebridade, dentre outras características. Alguns até já receberam apelido de #brag­ger. Por que tudo isso? Veja algumas reflexões sobre o tema.

Os indivíduos sempre buscaram se relacionar. É fácil lembrarmos diversas atitudes pessoais durante uma paquera, um início de namoro ou simplesmente uma amizade. Grande número de ligações, trocas de confidências, registro de momentos especiais, dentre outros comportamentos caracterizaram ao longo dos tempos uma proximidade afetiva maior de uma pessoa com outra. Neste contexto, o uso das novas tecnologias potencializaram objetivos bem conhecidos em tempos anteriores, porém agora através de novos recursos, de forma a permitir também experiências e comportamentos peculiares. Mas será que as novas tecnologias não nos tiraram um pouco a liberdade de escolha em participar desse novo contexto? Vejamos algumas reflexões e uma matéria da TV União sobre o tema.

URL Personalizada do Google+ de W. Gabriel de OliveiraComeçou a corrida para reivindicar um URL personalizado para seu perfil do Google+. O que era antes liberado apenas para empresas ou personagens famosos da nossa sociedade foi agora aberto a todos os usuários do G+ que estejam em situação regular e atendam aos requisitos apresentados pelo Google. Saiba como está sendo essa corrida para ter sua URL personalizada no Google Plus.