Apple Steve Jobs Morreu Maçã Mordida “Infelizmente, esse dia chegou”. Assim falou Steve Jobs através de uma carta pública apresentada pela Apple. [Na época] não foram dados motivos para sua saída, mas se sabe que Jobs batalha batalhou contra um câncer no pâncreas desde 2004 e que, em 2009, foi submetido a um transplante de fígado. Já em janeiro de 2011, Jobs fez um rápido afastamento para tratamentos médicos. E eis que,agora entrega antes de morrer, entregou o cargo de CEO da Apple, empresa que Steve Jobs e Steve Wozniak fundaram em 1976. Para quem revolucionou alguns dos principais modelos de negócio atualmente, sair da liderança da Apple, como o próprio citou, só poderia ocorrer se “chegasse o dia em que eu não pudesse mais cumprir minhas obrigações e expectativas como CEO da Apple”. E INFELIZMENTE ESSE DIA CHEGOU. STEVE JOBS MORREU. [Com sua saída semanas antes,] Jobs encerra encerrou suas atividades como CEO, mas continua continuou na empresa como presidente do Conselho e forte influência através do sucessor Tim Cook, ex-COO (Chief of Operation Office) da empresa, até sua morte, em 5 de outubro de 2011. O que pode mudar e quais as expectativas para os próximos momentos da Apple? Veja algumas reflexões a seguir. [MATÉRIA ATUALIZADA EM 5 DE OUTUBRO DE 2011, O DIA EM QUE STEVE JOBS MORREU. VEJA TAMBÉM AQUI O POST EM SUA HOMENAGEM]

É fato que estamos constantemente em um momento delicado no mundo corporativo. Tecnologicamente, poderíamos nos chamar até de eternos beta. Vimos  o quanto precisamos evoluir em nossas práticas de gestão e marketing e como todo esse atraso pode não ser percebido a tempo pelo empresário. Mas e então, o que devemos fazer? Veja a seguir um pouco de teoria e prática na área de marketing e reflita sobre o que mudou, para abrir a mente.

Depois de McCarthy e 4P’s, na metade do século passado, em que os mixers de Culliton e o composto de marketing de Borden foram agrupados em product, price, promotion e place; o mundo corporativo busca, ano a ano, a super nova tendência. Os 4P’s já completaram mais de 50 anos, porém ainda hoje há empresários agindo como se o foco continuasse exclusivamente na gestão do produto. Conheça que tipo de empresário é esse e quais problemas podem enfrentar.

Sei que é deveras repetitivo falar que as empresas não podem mais se comportar como anos atrás. As relações empresariais não evoluem mais a cada década, como bem indicaram teorias clássicas da administração, mas sim aparentemente a cada biênio, no máximo. Imagine, então, os empresários que gerem suas relações corporativas exclusivamente ainda sobre ideias e práticas de 1960 (Ex: 4P’s do Marketing) ou até de 1970/80 (Ex: miopia na administração tecnológica ou marketing de relacionamento restrito apenas ao cliente). Certamente há um grande risco de esse empresário achar que está tudo excelente e que teve um início perfeito, com teorias "modernas" e uma prática que o supostamente "cliente gosta". Mas, então, de repente, esse mesmo empresário passa a perceber um crescimento pífio, diferente do esperado e planejado, com recall de marca em queda, além de uma ultrapassagem da concorrência com práticas mais empolgantes e engajadoras. E então, o que fazer? Vejamos um pouco sobre uma empresa cearense que me chegou com uma postura instigante.

A turma do Quartel Digital realmente chegou para valer. Depois de fechar parceria com o blog Emediata, de Nayane Monteiro, para realização do Social Media Day, a turma agora organizou a vinda de Conrado Adolpho a Fortaleza, para realização de curso de formação de consultores em 8P's, voltados a atuar com Marketing Digital. Esse será o primeiro dos cursos que o pessoal do Quartel Digital oferece na cidade, com a promessa de trazer outros grandes players do mercado nos próximos meses. Vale ressaltar que a turma já fez o convite para que um dos meus cursos mais específicos (talvez o requerido Webwiting/SEO ou Analytics) fosse oferecido por lá - e eu já aceitei, confirmado, faltando apenas tratar datas.  

Ocorreu na TV União, durante o programa Matina, um debate bem descontraído entre pessoas que trabalham especificamente com mídias sociais e marketing digital. Estiveram nesse divertido bate-papo @alynecastro@nayane_monteiro, @AdrianoJocafe, @sorayamadeira, @naterciamelo e eu, @wgabriel1. A conversa foi muito boa, nostálgica, profissional e engraçada ao mesmo tempo, com participação do público em tempo real, via twitter oficial da @redeuniaotv ou simplesmente através do Twitter dos próprios convidados. Veja abaixo os vídeos publicados no Vimeo com todo o debate.

Recentemente, Redes Sociais Corporativas foram tema de um rico debate na Rádio CBN, filial O Povo. Dentro do programa Mercado e Negócios, apresentado pela jornalista Neila Fontenele, W. Gabriel de Oliveira (@wgabriel1) e Paulo Moraes (@totvs) discutiram os formatos dessas redes, seus impactos, o comportamento dos usuários dentro delas e a adequação das empresas para esse universo. Ouça a seguir o debate completo realizado na rádio e mais informações sobre as redes sociais da Internet em meio corporativo.

Realizei nas últimas semanas algumas palestras abordando o tema Redes Sociais da Internet. A mais recente ocorreu na Universidade de Fortaleza, para turmas de Comunicação e Marketing. Na palestra, algumas visões envolvendo teoria e prática foram abordadas, além de um agradavél bate-papo envolvendo experiências de mercado e comportamentos comuns dos profissionais dessa área. Veja aqui slides e vídeos apresentados na palestra.

Nas mais recentes palestras em que participei, resolvi abordar um pouco do mundo que me invadiu nos últimos meses: o mundo mobile. Dados de comportamento, números de aumento, estatísticas, pesquisas e perspectivas foram os assuntos recorrentes em minhas falas. Obviamente, Facebook, iPhone e Android tiveram participação marcante. Segue, então, uma das apresentações recentes que realizei em algumas faculdades e eventos - neste caso, dentro do Ciclo de Debates da Infobrasil 2011.

Ocorre em Fortaleza o maior evento de mídias sociais do Ceará, o Desencontro 2011. Para quem veio acompanhar os paineis em Fortaleza, preparei um material de aprofundamento acerca do que abordei no painel 02, em que tive o prazer de debater o tema 'Mídias Sociais: uma perspectiv regional' com Gabriel Ramalho (@gabsramalho), Ívila Bessa (@ivila), Adriano Jocafe (@adrianojocafe), Lenine (@leisecafortal) e Emílio Moreno (@emiliomoreno). Cada um dos palestrantes abordou sua visão sobre o tema Mídias Sociais na perspectiva local. Dentro da minha fala, abordei algo mais voltado ao posicionamento de mercado das empresas e alguns cases. Veja a seguir o breve material de aprofundamento sobre minha fala.

Veja a seguir a entrevista que concedi à estudante de jornalismo, Sabrina Lima, no início de março de 2011. Nessa entrevista, Sabrina pergunta sobre características de microblog, a que se atribui o sucesso do Twitter, melhores maneiras de usar as redes sociais, o que mudou na Comunicação depois das redes sociais e pontos negativos. Entrevista rápida, de menos de 5 minutos, e bem interessante. Convido todos a ouvirem.

Facebook e Warner Bros. fecharam parceria para alugar e vender vídeos on-line. Começando com aluguel de vídeos – por enquanto, apenas nos EUA - pretende-se ser possível assistir filmes, séries, shows e outros tipos de vídeo, igualmente como hoje é feito com o Netflix: “Instantly watch as many TV episodes & movies as you want!” Esse é mais um mercado milionário em que o Facebook se aventura. O negócio começou a rodar nos EUA em 6 de fevereiro de 2011 e pretende se espalhar pelas outras localidades promissoras rapidamente, caso haja perspectiva de consumo, obviamente. A parceria com outra grande empresa, o momento estratégico, o grande acesso de vídeos on-line no mundo, o grande crescimento do Facebook na mídia, enfim, uma grande visão estratégica, mas que precisa ser muito bem contextualizada com o país em que vai se inserir. Veja por quê.

Foursquare como álibi! Simplesmente dizer que está ou esteve em um determinado local não é tão forte quanto se ter provas. Ter um álibi sempre foi uma saída para reforçar argumentos, seja para provar a verdade, seja para convencer de uma mentira. Pois não é que o Foursquare, que já estava em uso também provar um paradeiro como álibi, agora ganha um reforço não tão white hat: conheça o My 4square Alibi. E as ideias de Marketing Digital que se renovem.

Fazemos planejamentos para diminuir os riscos de um projeto, além de outros fatores. Afinal, temos um objetivo a ser alcançado e não queremos falhar. O Plano de Presença On-line traçado um padrão de decisões não apenas estar na Internet, mas também para realizar dinâmicas substanciais que justifiquem os investimentos. Veja a seguir, uma proposta de Plano de Presença On-line composta em 6 passos para presença objetiva (estudo, planejamento, ocupação, execução, monitoramento e manutenção) e 4 fases de comportamento corporativo (existir, atrair, relacionar-se e fidelizar).