coracao_partidoMuito antes de o marketing científico surgir, a partir da proposta de complexo de marketing de Neil Borden, em 1949, o comportamento de divulgação e relacionamento com clientes já existia, mesmo sem nomenclaturas oficiais. A intuição e a prática exaustiva do comércio já serviam de subsídios para saber o que vende mais e o que não vende. Se o pensamento fosse um pouco mais sofisticado, havia também a preocupação em estar presente positivamente na memória do cliente para que ele sempre pudesse se lembrar de você - e comprar de você, não do concorrente. Será que as empresas atualmente precisam voltar anos atrás e ver novamente os princípios básicos da comercialização para atender bem aos clientes? Não é questão de luxo, são princípios basilares de que falo.

Apesar de pesquisas indicarem o aumento no número de empresas presentes em sites de redes sociais, pouco se investiga sobre a qualidade dessas presenças. Em uma visão rápida, é possível sim encontrar empresas fazendo uso de mídias sociais, contudo é também possível verificar que muitas sequer planejaram sua presença on-line. Seria isso apenas fruto da pressa para não ficar mais para trás, ou realmente constitui uma miopia empresarial?  

Você já viu uma equipe de tecnologia da informação e comunicação trabalhando? Já entrou em uma "fábrica de software"? A diversidade de pessoas, mentes, comportamentos e, muitas vezes, etnias - apesar de serem alguns do mesmo país - levam essa multilinguagem para além da programação de sistema. Seria curioso analisar os modelos organizacionais que se formam nas empresas de tecnologia. Meu pressuposto é que reformaríamos alguns paradigmas da Gestão de Pessoas.

Estados e municípios brasileiros ensaiam ações de Marketing Político na Internet desde as duas últimas eleições. Com o rebuliço feito por Barack Obama nas eleições de 2008, nenhum político tem mais desculpas para não acordar. É nesse momento que surgem as dúvidas sobre como fazer Mkt Político na Internet dentro da realidade brasileira, quando começar, o que falar, que plataformas usar e quais especialistas chamar para assessorar. A única certeza, para muitos políticos, é que ausente não podem ficar.

Palestra com tema Qualidade em Web: mostrando as possibilidades em Internet que as empresas desconhecem, ministrada por Ricardo Accioly e W. Gabriel Oliveira, da NOIX Internet, que explanaram sobre a importância do padrão de qualidade adotado como diferencial.

A conjuntura de política e conflitos atuais no mundo apontou fortes características da Internet, como colaboração, autonomia, velocidade de informação, quebra de barreiras geográficas, dentre outras. Foi sobre isso publiquei o artigo a seguir. Veja alguns trechos.

youtube_gov02Uma série de 6 propagandas de 30 segundos. Foi assim que o Governo Federal exibiu no Youtube, com um Superbanner na Home do Portal, sua campanha Confiança no Brasil (www.confiancanobrasil.gov.br).
O Youtube possui formatos de publicidade dos mais criativos. Na área de publicidade em seu portal, é possível assistir ao canal Advertise BR, com parceiros, campanhas já realizadas, dicas de boas campanhas, informações sobre as métricas e outras novidades. Um dos grandes destaques do canal é sem dúvida o Kit de mídia do YouTube, com a apresentação vídeo bastante empolgante para quem deseja usar o Yotube como mídia publicitária.
No caso do Governo Federal, essa não é a primeira compra de espaço publicitário. Em outras oportunidades, eles anunciaram também com Banners (Anúncio gráficos).
Essa iniciativa ousada do Governo Federal abre espaço para imaginarmos qual a próxima ação em cima de marketing digital que ele promoverá. Prova-se que a mídia digital definitivamente entrou nesse que era um planos de mídia mais tradicionalistas do país, governamental. Bola para frente.

Com uma série de 6 propagandas de 30 segundos no Youtube, a equipe de publicidade do Governo Federal mostra que começa a entender a força da Internet atual. Confiança no Brasil, essa é a campanha.