Sei que é deveras repetitivo falar que as empresas não podem mais se comportar como anos atrás. As relações empresariais não evoluem mais a cada década, como bem indicaram teorias clássicas da administração, mas sim aparentemente a cada biênio, no máximo. Imagine, então, os empresários que gerem suas relações corporativas exclusivamente ainda sobre ideias e práticas de 1960 (Ex: 4P’s do Marketing) ou até de 1970/80 (Ex: miopia na administração tecnológica ou marketing de relacionamento restrito apenas ao cliente). Certamente há um grande risco de esse empresário achar que está tudo excelente e que teve um início perfeito, com teorias "modernas" e uma prática que o supostamente "cliente gosta". Mas, então, de repente, esse mesmo empresário passa a perceber um crescimento pífio, diferente do esperado e planejado, com recall de marca em queda, além de uma ultrapassagem da concorrência com práticas mais empolgantes e engajadoras. E então, o que fazer? Vejamos um pouco sobre uma empresa cearense que me chegou com uma postura instigante.