Manhã com Tropa - Quartel Digital - W. Gabriel, Hugo Lopes e Marcelo Borges - TendênciasClaro que o mercado digital continua crescendo. Mas atualmente não só isso. O mercado digital, para além crescer, vem amadurecendo. E, como todo amadurecimento, uma série de novas exigências são percebidas e outras já existentes, reforçadas. O peso que se dava antes aos resultados das ações digitais muda à proporção que as empresas e seus profissionais resolvem investir mais. Além disso, as ações sem fundamento ou visão competitiva passam aos poucos a não gerar crédito e a não convencer quem resolveria investir. Por fim, a imagem do profissional nos meios online começa a pesar nas decisões objetivas sobre em quem investir. São tendências para os próximos períodos que merecem ser consideradas. Veja a seguir a apresentação que fiz para o evento Manhã com Tropa, organizado pela empresa Quartel Digital. Vale ressaltar que esta edição do evento foi a maior de todos os anos e contou com apresentações de Hugo Lopes (professor e sócio da agência Index Digital), W. Gabriel (professor, mestre em Marketing, orientador CNPq e especialista na área digital) e Marcelo Borges (empresário dono do Barney's Burger).

Engana-se quem pensa que atuar na internet profissionalmente é um serviço fácil. Imagine então o trabalho que dá para empresas atingirem o sucesso utilizando a rede. Nessas horas, é um planejamento de trabalho consistente e controlado quem dá norte ao barco. Para “não se enrolar na rede”, a jornalista Luar Maria Brandão produziu uma matéria para o Jornal O Povo com alguns passos – matéria que também cedi depoimento para auxiliar no argumento. Seguem alguns comentários e o link para a matéria.

Ocorreu na TV União, durante o programa Matina, um debate bem descontraído entre pessoas que trabalham especificamente com mídias sociais e marketing digital. Estiveram nesse divertido bate-papo @alynecastro@nayane_monteiro, @AdrianoJocafe, @sorayamadeira, @naterciamelo e eu, @wgabriel1. A conversa foi muito boa, nostálgica, profissional e engraçada ao mesmo tempo, com participação do público em tempo real, via twitter oficial da @redeuniaotv ou simplesmente através do Twitter dos próprios convidados. Veja abaixo os vídeos publicados no Vimeo com todo o debate.

Recentemente, Redes Sociais Corporativas foram tema de um rico debate na Rádio CBN, filial O Povo. Dentro do programa Mercado e Negócios, apresentado pela jornalista Neila Fontenele, W. Gabriel de Oliveira (@wgabriel1) e Paulo Moraes (@totvs) discutiram os formatos dessas redes, seus impactos, o comportamento dos usuários dentro delas e a adequação das empresas para esse universo. Ouça a seguir o debate completo realizado na rádio e mais informações sobre as redes sociais da Internet em meio corporativo.

Realizei nas últimas semanas algumas palestras abordando o tema Redes Sociais da Internet. A mais recente ocorreu na Universidade de Fortaleza, para turmas de Comunicação e Marketing. Na palestra, algumas visões envolvendo teoria e prática foram abordadas, além de um agradavél bate-papo envolvendo experiências de mercado e comportamentos comuns dos profissionais dessa área. Veja aqui slides e vídeos apresentados na palestra.

Nas mais recentes palestras em que participei, resolvi abordar um pouco do mundo que me invadiu nos últimos meses: o mundo mobile. Dados de comportamento, números de aumento, estatísticas, pesquisas e perspectivas foram os assuntos recorrentes em minhas falas. Obviamente, Facebook, iPhone e Android tiveram participação marcante. Segue, então, uma das apresentações recentes que realizei em algumas faculdades e eventos - neste caso, dentro do Ciclo de Debates da Infobrasil 2011.

Apesar de pesquisas indicarem o aumento no número de empresas presentes em sites de redes sociais, pouco se investiga sobre a qualidade dessas presenças. Em uma visão rápida, é possível sim encontrar empresas fazendo uso de mídias sociais, contudo é também possível verificar que muitas sequer planejaram sua presença on-line. Seria isso apenas fruto da pressa para não ficar mais para trás, ou realmente constitui uma miopia empresarial?  

As áreas abordadas são plano de marketing geral, planejamento de presença on-line, social media marketing, web analytics, webwriting, digital adversiting e mobile markering, além de estudos práticos com palestras de convidados. O curso foca abordagem geral sobre áreas de atuação, formatos e técnicas. É ministrado por W. Gabriel de Oliveira e convidados, no campus da UNIFOR - Universidade de Fortaleza. VEJA AQUI AS PRÓXIMAS DATAS do Curso Mkt Digital Unifor e também mais informações, como sugestões para novos alunos e requisitos.

Para uma pessoa comprar em uma loja virtual, medos, incertezas, ansiedade e vários outros sentimentos tiveram que ser vencidos. Finalmente, então, aquela pessoal realiza uma compra. Neste momento, começa a angústia: “Será que chegará? Será que fui roubado? Será que virá inteiro? Demorará?” Enfim, haja dúvidas. Diante disso, a loja que souber da melhor forma diminuir essa angústia e dar as respostas esperadas ganhará o cliente.

O que a afirmação de Chris Hughes, co-fundador do Facebook, tem a ver com e-commerce? Disse ele: “Dentro de dois a cinco anos, a questão sobre que redes sociais a pessoa usa será irrelevante, porque todas as mídias serão sociais”. A tendência apontada por ele é uma das mais recorrentes entre os profissionais de marketing. Mesmo antes dessa afirmação, pensar em redes sociais apenas como comunicação e relacionamento já era um desperdício. É possível também pensar tal socialização como ambiente, um campo de sensações e bem-estar. Eis aí o mote para falarmos um pouco sobre e-commerce.

Em abril de 2010, publiquei um post sobre o grande laboratório pelo qual passaríamos nas eleições 2010, no que se refere à Internet. Hoje, depois do primeiro turno das eleições, o que já é possível observar? Certamente, que foi um grande laboratório, mas que a Internet nesse contexto está longe de ser significativamente compreendida e praticada pelas esferas políticas, por seus organizadores e por grande parte da população brasileira - este último muito por falta de infraestrutura do país para esse meio.

Veja se você se enquadra nesta situação: planejou tudo para suas ações de marketing digital, até cursos você fez, mas quando chega a hora de executar, simplesmente não sai nada organizado, não consegue manter sequer a lógica já planejada e as tarefas paralelas só aumentam. Até que o dia acaba e você pensa: “o que eu fiz hoje?” De significante mesmo, nada!

Quem concluiu que social media marketing é uma atividade barata precisa enxergar mais. Essa crença pode ser fatal não apenas para os profissionais de marketing digital, mas principalmente para quem os contrata: os clientes. Se é barato, é porque algum recurso foi diminuído para que o preço baixasse. E como no social media marketing os principais recursos são tempo, criatividade e atenção, aceitar um precinho camarada pode ser uma roubada.